AçõesAnálise de riscoAvaliação de empresasConceitos básicosEducação financeiraEmpresasInvestimento em açõesInvestimentos

Os perigos da análise de desempenho ambiental, social e de governança para as corporações da área da biotecnologia e farmacologia são muito importantes.

Os Estados Unidos é a nação mais influente a se olhar para a facilidade de acesso a medicamentos de prescrição, representando cerca de 40% das vendas no setor de medicamentos de prescrição no mercado global de 1,4 trilhão de dólares no ano de 2021, com base nas análises da Morningstar.

Muitas poucas pessoas conhecem o valor exato do preço líquido que um comprador desembolsa depois dos descontos e abatimentos. Definir a justiça desse preço é ainda mais complicado – e exclusivo para um mercado tão grande, os preços dos medicamentos nos Estados Unidos não são regulamentados.

Através de acordos de negociação não transparentes entre fabricantes, distribuidores, gestores de farmácia de benefícios e pagamentos do governo federal e estadual, os preços são estabelecidos. Por causa disso, os americanos estão pagando o dobro de suas medicações em comparação ao que é cobrado em países desenvolvidos. Segundo a pesquisa World Investable da Morningstar, os pagadores de seguro de saúde, os empregadores e os eleitores estão ansiosos para controlar os custos.

Embora os custos envolvidos na aquisição de medicamentos sejam complicados e mal compreendidos, isso pode impedir o acesso a tratamentos e serviços essenciais, gerando grandes riscos ambientais, sociais e de governança para empresas farmacêuticas e estabelecimentos farmacêuticos.

Examinar esses riscos pode ser desafiador, mas é essencial para os investidores que buscam uma participação na economia fundamental.

O Estado tem a função de produzir e garantir que as responsabilidades legais sejam cumpridas.

Os perigos relacionados à ESG (Sustentabilidade Ambiental, Social e de Governança) podem ser mais do que simplesmente preços. Outras questões a serem consideradas incluem a governança do produto, as responsabilidades legais e a ética corporativa.

As corporações de biotecnologia e farmacêutica têm um grande perigo de governança de produtos de numerosas fontes, um perigo que mais frequentemente surge como encargos jurídicos.

Leia Mais:   O CFTC chamou Tether e Bitfinex para comparecer, enquanto o Bitcoin caiu abaixo de US$ 10.000.

As empresas da Biofarma oferecem um item fundamental, que muitas vezes é necessário para a sobrevivência dos consumidores. Por outro lado, qualquer problema com o produto ou efeitos não intencionais podem trazer consequências de alto risco para a vida.

Aqueles que dependem de medicamentos para salvá-los da doença geralmente já possuem problemas de saúde anteriores. Idosos e crianças são particularmente vulneráveis aos efeitos prejudiciais, e eles se beneficiam de mecanismos de proteção ao consumidor. Isso pode aumentar a possibilidade de controle e disputa judicial — especialmente em países com processos judiciais litigiosos, como os Estados Unidos.

O desempenho das ações da empresa de biofarmacêutica pode ser afetado pela percepção pública. O trabalho de progresso realizado por essas empresas durante a pandemia gerou uma publicidade positiva, que contrabalançou a cobertura negativa mais comum dos processos.

Exemplo: Existem muitos motivos pelos quais as organizações da área de biofarmacêutica são processadas. Por exemplo, em 2012, a GSK pagou o maior acordo de fraude de saúde já visto nos Estados Unidos até então, no valor de US$ 3 bilhões, para solucionar acusações relacionadas à distorção do perfil de segurança de seus produtos. Mais recentemente, a Johnson & Johnson tem despesas de US$ 5 bilhões devido a sua participação na crise dos opioides, incluindo omissão na divulgação completa de efeitos colaterais e dependência.

Embora esses acordos pareçam significativos, eles parecem insignificantes comparados aos lucros totais das empresas envolvidas. De acordo com a pesquisa Morningstar, os custos médios de litígio para grandes empresas farmacêuticas representam apenas 3% da receita normalizada de 2014 a 2021. Com grandes empresas farmacêuticas tendo margens líquidas médias na faixa de 30%, esses custos parecem facilmente geridos.

Leia Mais:   A SEC está movendo uma ação contra a Coinbase por violar as regulamentações de títulos.
Sistema de Seção e Desempenho.

Através de seu “cápsula”, a Morningstar detectou grandes desequilíbrios nos preços de biofármacos para a maioria dos portfólios de medicamentos de marca – o que aumentou os riscos de ESG para os valores das empresas farmacêuticas envolvidas.

A AbbVie Humira, um medicamento imunológico, tem um histórico de aumentos de preços anuais e preços líquidos excedendo os custos econômicos. Além disso, as drogas mais recentes de imunologia, como Skyrizi e Rinvoq, também parecem ser ligeiramente sobrevalorizadas.

Vertex é um intérprete desfavorável. As terapias crônicas para patologias raras são muitas vezes supervalorizadas em relação aos seus limites de custo-benefício, e os tratamentos de fibrose cística oferecidos por Vertex são avaliados, no mínimo, três vezes acima do que o Instituto de Revisão Clínica e Econômica consideraria lucrativo.

Por outro lado, Sanofi é uma das melhores empresas farmacêuticas. Sua forte dependência em Dupixent – um medicamento de alto custo usado para o tratamento do eczema, asma e outras desordens imunológicas – é vista com bons olhos tanto em termos de avaliação quanto do sistema de cápsulas.

Espera-se que, quando disponível, a droga de terapia gênica de hemofilia da BioMarin seja corretamente avaliada, com base em uma análise minuciosa do ICER, devido à singularidade do tratamento e à sua grande eficácia.

Ações do Estado para solucionar um problema.

Apesar de as mudanças e normas da política de preços dos medicamentos terem como intuito ampliar o acesso aos medicamentos e serviços básicos, o que permitiria diminuir alguns fatores de risco ESG dentro do setor, a redução nas vendas poderá ter consequências negativas para algumas farmácias.

A Lei de Redução da Inflação, por exemplo, demanda que o secretário de Saúde e Serviços Humanos negocie custos para uma pequena quantidade de drogas que não possuem versões genéricas ou biossemelhantes que estão protegidas pela Medicare Parte D. O decreto efetivamente estabelece reduções de preços em medicamentos que são tutelados pela extensa proteção de patentes. As companhias que seriam mais afetadas pelos preços obrigatórios a serem reduzidos incluem AstraZeneca, Gilead e Novo Nordisk.

Leia Mais:   Fitch está avaliando a dívida da Advisor Group a um nível superior ao seu rating.

A legislação também sanciona companhias biofarmacêuticas que elevam os custos da Medicare acima da taxa de inflação.

Mesmo com as tentativas da gestão Biden de diminuir os custos e aumentar a clareza dos valores, as companhias farmacêuticas ainda terão influência sobre os preços, especialmente ao elevar os preços de lançamento de novos medicamentos, já que não há nenhum limite para os preços iniciais.

À medida que o tempo passa, a avaliação de custo-benefício vai ter um peso cada vez maior nas decisões de política e nos acordos de preço dos medicamentos, colocando em perigo empresas que cobram preços excessivos por seus produtos de maior demanda.

Karen Andersen é uma especialista em biotecnologia na Morningstar.

Back to top button