AçõesAnálise de riscoAnálise fundamentalEconomia globalFinanças pessoais

A lei proposta por Bill que limita o ESG foi aprovada na Carolina do Norte.

Esta semana a legislatura da Carolina do Norte apresentou ao governador Democrata Roy Cooper uma proposta de investimento temática da ESG.

A legislação da Carolina do Norte possui um estilo de linguagem similar aos projetos anti-ESG aprovados em vários outros estados, que restringem as decisões de investimento somente a aspectos econômicos. Porém, a versão ratificada desta lei contém uma exceção significativa para o ESG.

O projeto de lei revisado afirma que os aspectos sociais ou ambientais podem se tornar relevantes financeiramente somente se apresentarem ameaças econômicas ou oportunidades que profissionais especializados em investimentos entenderiam como fatores econômicos significativos de acordo com as teorias de investimento de uso comum. Além disso, o peso dado a esses fatores deve refletir apenas uma precisa avaliação de seu impacto sobre risco e retorno.

De acordo com a versão original do projeto de lei, o tesoureiro do Estado teria discrição com relação aos fatores ESG ao lidar com ativos públicos, um desafio para o governo de um líder democrático. Embora o governador Cooper não estivesse planejado assinar a lei, os votos na Câmara e no Senado foram consideráveis o suficiente para substituir um veto, de acordo com o North Carolina Journal.

A legislatura do Estado estabeleceu restrições semelhantes às das diretrizes do ESG aprovadas pelo Departamento de Trabalho durante a gestão Trump. Embora as normas do ESG não tenham sido inteiramente banidas — a não ser as opções de investimento pré-definidas qualificadas nos planos de aposentadoria —, houve uma desaceleração relacionada às normas, de acordo com os especialistas.

Ainda assim, o significado que a conta da Carolina do Norte pode ter para a gestão dos ativos do Estado pode ser mais simbólico do que prático. Os responsáveis pela administração dos fundos de pensão costumam usar fatores ESG para aprimorar as análises de risco e retorno, em vez de dar prioridade a objetivos sociais ou ambientais antes do desempenho financeiro.

Leia Mais:   A BNY Mellon anunciou a contratação de seu primeiro Oficial de Sustentabilidade Principal da BlackRock. O novo cargo tem como objetivo acelerar o compromisso da empresa com a responsabilidade social e ambiental.

Outro elemento da legislação se refere ao emprego da ESG na administração de funcionários por agências governamentais.

Este dispositivo desabilitaria qualquer órgão governamental, divisão política, fundação, comitê ou comissão para ter a opção de “utilizar, impor, fornecer informações para uso ou de outra forma contribuir para a criação ou uso de políticas relacionadas ao emprego, demissão ou avaliação de funcionários”, de acordo com o texto da lei revisado.

Back to top button